Archive for the ‘Marketing’ Category

Seth Godin: Sliced Bread

Tá difícil arrumar tempo (e um pouco de inspiração!) para escrever no blog, essa semana está tensa na GV, assim como estará a próxima! No final de semana tento escrever alguns posts!

De qualquer maneira, segue esse vídeo interessante do Seth Godin na TED, uma conferência sobre Tecnologia, Entretenimento e Design. No site (www.ted.com) vocês podem encontrar outras excelentes apresentações… ou então buscando por “tedtalks” no YouTube.

Advertisements

GeniousRocket – publicidade crowdsourced (o retorno)

Esbarrei (mais uma vez pelo StubleUpon) no site GeniusRocket.

Uma comunidade para “pessoas criativas” que queiram trabalhar com publicidade. Seja na criação de um comercial, de uma campanha ou de um hotsite.

Bem parecido com a proposta do Zooppa sobre o qual comentei em outro post

Pelo que percebi a grande diferença é que o GeniusRocket oferece outros “trabalhos” fora a criação de vídeos virais, eles permitem que alguém colabore com um projeto oferecendo uma mão de obra mais especializada como “narração”, “edição”, “efeitos especiais”, “web design”, “direção”, etc…

A empresa provavelmente cobra uma boa grana para que as empresas divulguem as suas “ofertas de trabalho”.

Interessante para quem tem dons artísticos.

Radiohead – sucesso da desintermediação

Seguindo a linha de outros músicos como Nine Inch Nails e Lobão (ha-ha), o Radiohead decidiu lançar seu último álbum na Internet… sim, de graça.

Bem, na verdade eles “convidam” as pessoas a pagarem quanto considerarem justo pelo disco. Resultado? 1,3 milhões de downloads desde o dia 10 de outubro, com uma contribuição média de 4£ (R$14 e pouco) por download.

Fora o marketing de guerrilha conseguido para a turnê os caras, sem dúvida, pagarão as contas da produção do disco com fôlego.

Tem muito a ver com a palestra do Chris Anderson sobre “Economia da Abundância” que eu recomendei, em especial com o vídeo que ele exibe ao final da palestra.

Estou puxando o meu  disco (não paguei nada agora porque provavelmente comprarei o disco quando sair nas lojas… e porque atualmente estou desempregado! ha! :D). Você pode acessar o site do álbum aqui.

Como brinde do post segue um vídeo de uma apresentação fenomenal deles:

Comece pequeno… build a beachhead

No momento estou preparando a apresentação do Zandu para as finais do “2o Desafio Gv-Intel“.

Um dos pontos que quero abordar é a importância de se lançar um serviço com um nicho em mente. Do meu ponto de vista as empresas que hoje atuam nesse mercado estão sem foco, não sabem ao certo qual cliente querem atingir e acabam tentando atender todo mundo. Resultado: não conquistam ninguém.

Se o Zandu sair do papel a idéia é lançá-lo para um público específico, e desse público crescer para os demais. Operando dessa maneira será possível construir uma ferramenta que seja mais útil e que atenda de forma mais eficaz a expectativa dos usuários (tanto dos vendedores quanto dos compradores).

Além disso eu acho que um grande erro cometido por “empreendedores da Internet” é a crença de que basta colocar o negócio na rede que a idéia pega… a verdade é que negócios na Internet são como qualquer outro, precisam ser “vendidos”… e o esforço de vendas deve ser Off-line e não só Virtual. Focando em um nicho esse esforço de vendas é facilitado.

Buscando reforços para esse ponto eu citei duas frases interessantes do Guy Kawasaki que estão no seu livro “The Art of the Start“. Seguem os slides:

nicho1.JPG

nicho2.JPG

Por acaso acabei de cair em um blog (usando o StumbleUpon… excelente para momentos de tédio) onde o autor aborda esse ponto…. segue o link.

Mais viral

Alguns já devem conhecer a série “Will it Blend?” da fabricante de liquidificadores BlendTec.

Os caras da BlendTec fazem vários vídeos mostrando como os seus liquidificadores são eficientes… nestes pequenos comerciais o presidente da empresa escolhe algum objeto inusitado para destruir… sempre começando o programa com a frase “The question is: Will it Blend?”

O “Will it Blend?” já é uma lenda na internet… É só procurar no YouTube que tem muita coisa interessante (iPods… iPhones… vassouras… etc)… total desperdício de dinheiro 🙂

O último “episódio” contou com mais uma lenda… o Chuck Norris… confiram:

Viral

Estou tentando arrumar tempo entre provas e trabalhos para melhorar o Plano de Negócios do Zandu para o Desafio GV-Intel, por isso tá difícil sobrar uma meia hora para escrever no Blog! Em breve encherei a paciência de vocês com uma pesquisa de mercado! :DPara não deixá-lo abandonado hoje eu vou colocar um viral que achei interessante… na verdade já estou colocando o Making-off dele. Fonte: Tiago Dória

Crowdsource

Uma das coisas mais legais que a Web 2.0 trouxe foi o crowdsourcing. A idéia de ter milhares de pessoas que não só estão consumindo o conteúdo gerado pelas empresas, mas também estão produzindo este conteúdo para elas (e ainda sendo pagas para isso) é fascinante.

Não tá entendendo nada? Um exemplo é o Zooppa (www.zooppa.com). Esse site é procurado por empresas que querem criar vídeos virais para seus produtos. Já que ninguém sabe a fórmula para se criar um vídeo viral, eles estão terceirizando o processo para o público. Qualquer um pode chegar lá e colocar um vídeo engraçado/emocionante/chocante sobre o produto da empresa. Os próprios usuários votam no melhor vídeo e o ganhador leva pra casa um prêmio em dinheiro. A empresa por sua vez leva pra casa um vídeo que tem potencial de ser viral (pode não virar nada também, mas por US$3.000 é infinitamente mais barato que contratar uma agência).

Eu tinha conhecido o site faz algum tempo mas acabei esquecendo dele… hoje, sei lá por que, lembrei e decidi voltar lá… parece que a idéia já cresceu. Antes só existia um campeonato de vídeos virais, agora a empresa está atraindo campeonatos de mídia impressa também. Vale a pena uma visita… o site tá bem bonito.

Aqui no Brasil temos um exemplo muito legal que é o Camiseteria. Conheci o site deles quando tava pensando em trazer para o Brasil o conceito do Threadless.

Outras empresas que usam o crowdsource: Sellaband, iStockPhoto, Innocentive

Ainda não entendeu o que é crowdsourcing? Entre aqui e aqui!