Posts Tagged ‘Start-up’

TechCrunch 50

Desde o dia 8 de setembro está rolando o TC50, um evento organizado pelo Michael Arrington (do blog TechCrunch) onde 52 start-ups se apresentarão até o dia 10.

Cada start-up tem 8 minutos para vender seu peixe. Todo o evento está sendo transmitido ao vivo e os vídeos das empresas que já se apresentaram podem ser vistos pelo site.

Vale a pena conferir para escutar as novas idéias que estão surgindo e ter uma noção de como são feitos os pitchs lá fora. Também é bom pra ver que não é só por aqui que surgem idéias bizarras

O Daniel está fazendo um apanhado de cada idéia então não vou fazer o retrabalho, meus comentários serão feitos no blog dele mesmo.

Advertisements

Zandu nascendo???

09112007720.jpgOntem tive uma excelente e produtiva reunião com um amigo… discutimos por algumas horas, entre um copo de cerveja e outro, o que era necessário (em termos de programação) para tirar o Zandu do papel. Desenhamos os principais fluxos pelos quais os usuários provavelmente passarão e pensamos nas principais telas… durante os próximos dias vou arrumar algum tempo para colocar tudo isso no Photoshop e, a partir daí, começar a programar o HTML, CSS e etc…09112007721.jpg

Acreditamos que podemos fazer bastante dedicando o nosso tempo livre para o desenvolvimento do Zandu e para o aprendizado de coisas que ainda não dominamos (eu, por exemplo, vou ter que aprender HTML pra valer!)… recursos são escassos, mas dá para começar a brincar… 🙂

ps: estas pequenas folhas de papel, um dia, podem ser históricas! 😀

1o Startup Camp Brasil

Depois de um bom tempo sem falar sobre empreendedorismo nesse blog eu estou fazendo esse post direto do 1o StartupCamp Brasil! Ainda não começou, o pessoal está chegando e se preparando para o evento.. durante o dia vou fazer alguns posts (pra compensar a ausência dos últimos dias) com comentários sobre as apresentações.

10112007723.jpgEdit 1: Começou… Cazé Peçanha e Carlo Dapuzzo apresentando o conceito do StartupCamp

Edit 2: Marcelo Ballona (Submarino.com.br) dividindo um pouco da sua história como empreendedor. Ponto principal: não ter medo do fracasso, se for para entrar na “canoa” do empreendedorismo, é preciso entrar com os dois pés. “Tentem até a última gota de sangue”.

Edit 3: apresentação do Fábio Igel (Monashees.com.br), ele está contando um pouco sobre a sua experiência de vida pessoal e empreendedora e logo mais deve abordar o tema “Conversando com um VC”. Edit 3.1: Foi muito bacana a palestra, os presentes mostraram-se bastante interessados no assunto, várias perguntas e muito bom humor por parte do Fabinho.

Edit 4: Início da participação do Fábio Seixas (Camiseteria.com/WeShow.com). Tópico: “Preparando um pitch para10112007724.jpg investidores”. Edit 4.1: O Fábio está contando um pouco da sua história no empreendedorismo… já foram 3 tentativas que não deram certo, está na 4a! Reforçando a idéia de persistência para ter sucesso nessa vida. Edit 4.2: outro ponto importante apresentado por todos até agora é a importância das pessoas em todo esse processo. Para os empreendedores é importante conhecer melhor os potenciais investidores, e os capitalistas de risco sempre investem em pessoas, acima de tudo, não em planos ou idéias. Edit 4.3: DISCLAIMER: sou um péssimo repórter… 😉 Edit 4.4: outro ponto em comum nas três palestras: Crie algo antes de procurar capital.

10112007725.jpgMeus amigos… me desculpem mas não tenho habilidade nem paciência para ser jornalista/reporter/blogueiro! Aqui encerra o meu relato do Startup Camp! Com certeza outros blogs farão uma cobertura infinitamente melhor que a minha! 🙂

Intruders.tv

Caí neste site que tem alguns videocasts com empreendedores web do mundo inteiro (menos da América do Sul e África, lógico).

Assisti alguns bem interessantes… o problema é que os vídeos são pesados e demoram bastante para carregar.

AVISO: depois que abrirem a janela do vídeo não cliquem (nem mesmo sem querer) fora do player… caso contrário o vídeo será fechado e o download precisará ser refeito… I learned it the hard way… for too many times…

Levante a mão quem nunca colou…

Acabei de ler uma matéria da Business 2.0 falando sobre 3 irmãos que mudaram o cenário do empreendedorismo alemão, e de quebra fizeram fortuna, com uma estratégia bem simples: levaram para a Alemanha modelos de negócio americanos bem-sucedidos.

A matéria me chamou a atenção porque, volta e meia, encontro idéias interessantes lá fora e fico com vontade de trazê-las para o Brasil. Até algum tempo atrás eu tinha muita resistência quanto a isso… sempre com o desejo de fazer algo 100% inovador, algo que o mundo nunca tinha visto. Depois comecei a ficar mais humilde e passei a entender que só porque se trata de uma cópia não significa que é fácil tirá-la do papel. Existem sim grandes desafios para se adaptar um modelo de negócios estrangeiro. Afinal de contas, você precisa moldar o modelo de negócios para culturas, consumidores, condições de mercado e legislações completamente diferentes. Pra mim esses desafios são atraentes o suficiente para eu tentar realizar algo como o Zandu.

Em outras palavras, é como se você fosse colar em uma prova mas só enxergasse parte da resposta do seu coleguinha japonês do lado… aí você precisa dar aquela ‘maquiada’, usar a criatividade, usar o que você conseguiu ‘captar’ e o que você realmente sabe para formar aquele híbrido de 15 linhas que te salvará de uma DP certa… 😀 (Não que eu faça esse tipo de coisa…¬¬)

Outro ponto que levanto em defesa das ‘copycats’ é que muitas empresas que agora são consideradas inovadoras começaram com um modelo bem conhecido na sua época (ninguém fala que o FaceBook é uma cópia do MySpace… ou que este seja uma cópia do Friendster…). Além do mais, acredito que de um “copycat” podem surgir spinoffs muito interessantes (por exemplo a plataforma aberta de Apps do Facebook)…

Felizmente nada impede que alguém olhe para uma empresa e diga: “Eu posso fazer isso… só que melhor!”. Se os empreendedores parassem no obstáculo escrito “alguém já faz isso” nós não teríamos a Embraer (já existia a Neiva no Brasil) o Google (já existia o Yahoo!) ou a Skol (tá, essa foi só pra jogar confete).

Pra finalizar, para mim o exercício de estudar estas empresas e tentar ‘adaptar’ o seu modelo para o nosso país é divertido e me ajuda a enxergar outras possibilidades, a mesclar conceitos de cada uma delas e gerar novas idéias…

Springwise

Post curtíssimo para não deixar o TCC de lado (e viva o referencial teórico…. ZzZz).

Recomendo o site Springwise.com para quem gosta de descobrir novas tendências e novos negócios. É uma excelente fonte de “brain-food”, como dizem os gringos.

Abraços

8 Marketing Milestones

Uma lista interessante que li hoje na American Venture Magazine. São propostas simples, mas que eu concordo que fazem a diferença (especialmente a 1, 3 e 10 8).

1. Profile Your Customers. Who are your most valuable customers? Can you describe them succinctly, in 50 words or less? Profiles are descriptions of your customers’ values, beliefs and decision-making processes. While it’s important that you understand the products and services that you offer customers, it’s even more significant to understand what your customers value and why so you can fulfill their needs. Don’t assume you know, ask them.

2. Play 20 Questions With Your Clients. Imagine that your five most important customers are sitting in a room with you. What questions would you ask them about their purchases, their needs and interests, and the factors that influence their decision-making processes? Hopefully you already know how they found your company, what they have purchased, and why. If you don’t, these should be among the first questions you ask. Compile a list of 20 questions that will help you define your customers. Then develop a framework that will allow you to obtain critical information, determine the methods you will use (i.e., surveys, market research) and define sources of this data.

3. Remember to Keep Your Friends Close but Your Enemies (i.e., Competitors) Closer. Identify several companies that offer competitive or substitute products or services. Discover what their benefits are to potential or current customers of yours. Now think about how you compete against them by comparing your message, value proposition and target audiences with theirs. Based on your assessment, develop at least three strategies that you will use to position yourself effectively against them and are prepared with this knowledge when prospects ask, “What sets you apart from ABC Company?”

4. Identify Partner Companies That Will Create Win-Win Relationships. What do you expect from a partner and how can it contribute to your company’s growth? Can your potential partners’ strengths be leveraged to empower your business? What does your ‘must have’ list look like in order for your partnership to succeed? Do you each add value to mutual companies while not competing with each other? A strong marketing alliance offers many benefits, including reducing risk, sharing costs and improving time to market, so choose your partners carefully.

5. Find Out If Perception Is Reality. How do your customers and prospects perceive you? Branding is the impression you leave through every customer touch point and involves far more than a nice logo or cool tagline. Everything you do has to incorporate your message, because if you dilute it in any way, you won’t be sending a clear definition of the value you provide customers. As the saying goes, “Perception is reality,” so in order to ensure that your brand is strong, your message must be clear, focused and on target at every touch point.

6. Prepare a Strong Elevator Pitch. Ever find yourself in a room with a key prospect and you couldn’t succinctly explain your business to her? Perhaps you rambled on for minutes, never getting to the point, or you froze up. Elevator pitches are designed to help you prepare a very brief pitch explaining clearly to anybody you meet why they would want to continue a dialogue with you at a future point in time. You don’t want to tell them everything about your business, just enough to whet their appetite and get them interested in meeting with you again.

7. Align Marketing Programs to Meet Sales Goals. Sales and marketing have to work together to support business growth. Even if the same person wears the sales and marketing hats in your company, you must plan your marketing program based on how many sales leads you need to generate and what your cycle time is. For example, if you know you need 1,000 leads over a six-month period of time to attain the number of new customers required for business growth, proactively plan your marketing programs well in advance so they generate the desired results.

8. Harness Your Passion as a Strategy. Even the most successful companies have their share of business ups and downs. How will you use your passion to get through the rough patches and continue to grow? Consider your passion for your business. What do you love about it? Why are you starting or did you start it? List 10 reasons why you feel passionately about your business. Post this in your office or some place where you will see it every day to remind yourself why you’re getting up each morning and going to work (even if that’s just down the hall). These 10 reasons will keep you motivated on the good days as well as the bad ones!